quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Nós


Os opostos sempre se atraem, e é de certa forma lógico que assim seja. Representávamos lados opostos. Dois extremos. E os extremos são tão ilusoriamente desejáveis que se tornam perigosos. É no equilíbrio que devemos apostar. E nós achamos o nosso equilíbrio. Eu fazia peso para um lado, tu para o outro e assim temos mantido o nosso barco. Que balança, mas que ainda não virou.

13 comentários:

marisa disse...

:)) só que me cansa vir aqui e gostar sempre de tudo haha :p

Anónimo disse...

É mesmo assim... desejamos sempre aquela pessoa que "não tem nada a ver connosco", precisamente porque anciamos por algo "diferente de nós", porque "já estamos dolorosamente cansados". E a balança continuará equilibrada, a não ser que algum "abuse" da sua forma de ser, ou se torne "igual ao outro".
um beijinho,
sofia

marisa disse...

sim, concordo plenamente contigo, acho que até são mais sinceros. :)

O mundo de uma sonhadora disse...

Liindo!
E fico contente por teres encontrado o outro "pólo".
Não é por acaso que os pólos(tipo himan(espero bem não estar a escrever a palavra mal lol)) opostos se atraem ;D

beijinho*

ana cristina disse...

e não irá virar, se sempre manterem esse bom equilíbrio! felicidades :)

ana cristina disse...

obrigada :)

marisa disse...

faço minhas as tuas palavras! Não diria melhor :b

Luna Sanchez disse...

Perfeita sintonia!

=*

Wellington disse...

Adorei teu blog, muito bom mesmo..
Seguindo vc aqui, segue de volta??

Veja meu cantinho:
http://belezaeatragedia.blogspot.com/

..bjos,Até Mais!!

anadinis disse...

é verdade, mas não lhes darei assim tanta importância ...

cris m disse...

adorei o texto e o blog! Sigo :)

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

mariana. disse...

imagem perfeita *-*

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»