domingo, 6 de novembro de 2011

"Quando alguém de quem eu gosto (...) desaparece do 'ângulo de visão' com que o observava e da 'esfera de contacto' que me permitia tocar-lhe, quando deixo de escutar a sua voz e contar com a sua presença, é que eu verdadeiramente me apercebo do vazio arrasador que fica, do silêncio que me queima, das lágrimas que se soltam na solidão que me invade, da memória que rasga o espaço dorido da mente incomodada, da tristeza sombria que parece arrebatar-me a alma, da insignificância das nossas impertinências e discussões, do quanto o aprecio e do muito que ficou por lhe dizer, ou por fazer... só então eu consigo intimamente compreender o que esse ser humano significava para mim e, eventualmente, o quanto eu realmente o amo!"

Abílio Oliveira, no livro O Desafio da Morte 

41 comentários:

O mundo de uma sonhadora disse...

Não levei a mal, descansa =)
Eu percebi o que quiseste dizer =P

Beijinho*
p.s-querida,eu relacionei-me imenso com este post! Até fiquei um bocado emocionada :´$

s disse...

Ahah não. x) há pessoas que nos fazem realmente muita falta. :c

ran disse...

Sabes? Só quero o melhor para ele, se o melhor para ele não é comigo, eu deixo-o partir e procurar.

alexandra disse...

quero seguir o teu blog, mas não aparece a barra em cima. como faço ? *

Jasmine disse...

mas não podes querida porque isto é uma coisa normal de acontecer. o que não é normal de acontecer é alguém que vai ao teu lado fazer-te uma cena como o meu pai fez. se estivesse sozinha subia aquilo com uma facilidade desgraçada mas é sempre assim, quando vou com ele ao lado so faço porcaria.

marta disse...

sigo, adorei (: *

Renata disse...

castanhos claros porque?

MARTA PEREZ Ҩ disse...

como eu te entendo, minha querida! este texto diz muita coisa!
em relação a teres gostado do meu mouse, agradeço. ahah :p <3

Daniela disse...

Que lindo :D

merospontosdealma disse...

eu acho que sim :o

sanddi disse...

é mesmo, mas infelizmente poucas são as pessoas que se lembram disso e o fazem! :x

Mónica* disse...

esperemos bem que sim ((:

Cristiana Lopes disse...

já cheguei á conclusão disso.

claudiagomes. disse...

lindo todos os dias este texto.

Sara disse...

Tambem adoro o teu boneca (:
-sigo *

marta disse...

Obrigada minha querida (:
Mas estou a seguir :o às vezes não aparece, ou então aquilo ficou lá para trás :o
Beijinhos (:

alexandra disse...

ehehe obrigada, sou nova aqui, ainda não sabia umas coisitas. continua a escrever **

s disse...

Estou desejosa de o ler querida, tenho a certeza que de certa forma me vou identificar, também perdi dois dos meus à cinco anos. :c

marisa disse...

adorei :)

Joo disse...

Que forte! Sigo-te.

Renata disse...

Não, são castanhos :)

claudiagomes. disse...

não mas adorei!

Ana Luiza Cabral disse...

Que palavras são essas, tão lindas? Minha falta de tempo tem tomado conta de mim, estava com saudade de lê-la. Um beijo querida!

sanddi disse...

pois infelizmente é :$
obrigada :D

Rita disse...

Já cheguei a ler alguns excertos dele

Mary* disse...

Fantástico este excerto!;)
beijinhos*

ƒranciscaqueirós. disse...

Obrigada querida (;
Vou seguir *

Sara disse...

Obrigada eu princesinha (:
Ta mesmo perfeito <3

soraiacfontes disse...

pois é, eu adoro-a! e sim, inspirei-me nela :))

danielarocha. disse...

obrigada querida :')
gostei muito! sigo *

sara morgado disse...

gostei muito do excerto :o
sigo*

saramorgado.blogspot.com

Anónimo disse...

É isso Daniela, mesmo que, durante a vida, por míseros segundos, por exemplo, durante um abraço a alguém pensemos o quanto esse alguém significa para nós e desejemos a sua presença, mais tarde acabamos sempre por nunca pensar tanto como quanto esse alguém já não existe. A presenção quase que nos vicio, enganano-nos, convence-nos e faz-nos crer que é eterna quando, no fundo, é tão frágil que momentos a seguir pode já não exsitir. Quando, todos os dias, vamos dormir, nunca ou raramente revemos todas as pessoas que já vimos, recordamos todos os momentos para que, se morrerem logo a seguir (porque nunca se sabe) não venha o "ficou por dizer". Mas não fazemos isso, ou porque "dá demasiado trabalho", ou porque, de certa forma, nos convencemos de que "de certeza" que no dia seguinte, quando acordar, aquela pessoa ainda estará ali, ao meu lado. É duro, mas PODE NUNCA MAIS VIR A ESTAR. E é por isso que, só quando as pessoas morrem é que já não "dá trabalho" recordá-las.
beijinhos,
sofia

sara morgado disse...

pois, esse é um problema que eu vou ter mesmo que resolver, talvez tenha de desistir do dsign do blog e passar a um mais tradicional, no fim da semana resolvo isso.
beijos *

Bárbara Silva disse...

- eu também acho :b

marisa disse...

Obrigada :D Andava pouco por aqui, mas agora já voltei. Mesmo assim vinha cá ler as tuas coisinhas *.*

Daniela disse...

O teu também está muito bonito :D

lii' disse...

eu não ahah

marisa disse...

eu leio toda a gente que sigo, por isso é que são poucos. Poucos e bons x)
e gosto muito dos teus posts :)

Catarina Brito disse...

digo o mesmo do teu querida.:)

cris m disse...

obrigada :)

Marisa disse...

muito obrigadaa*

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»