sábado, 4 de junho de 2011

Não há um "agir correctamente" universal, que se aplique sem excepções. Um "deves fazer" que não falhe.
Há que agir em conformidade com o nosso ser e com a situação, que nunca é a mesma. As circunstâncias mudam, as pessoas envolvidas também mudam e por isso devem ser consideradas. Os mais infimos promenores fazem realmente diferença.
Já questionei as decisões que tomei no passado... Já coloquei  a hipótese do "se", mas acho que não me devo arrepender ou ter medo do que fiz, porque foram as minhas pequenas escolhas e as minhas acções em determinadas situações do passado que me construiram.
Se eu não me arrependo daquilo que sou presentemente e daquilo que (aparentemente) tenho, não acho legítimo continuar questionar o que já está feito... não deve ter sido muito errado. O resultado parece-me bom...

7 comentários:

Sara Filipa disse...

Gostei*

IM disse...

Sem dúvida. O resultado é muito bom...eu asseguro!
Bem, penso no Sartre...«não interessa o que os outros fizeram de nós, mas o que nós mesmos fazemos com o que os outros fizeram de nós». Somos o que somos em virtude do que fomos? Poderia ter sido de outra forma? Talvez não..mas por isso estamos aqui...

Anónimo disse...

Muito bem, Daniela...
As escolhas por vezes podem parecer más, mas na verdade são a reflexão do que somos... e nada as poderá alterar. "E se...", pensamos nós, mas nada podemos tentar fazer. "Se" isso acontecesse tudo seria diferente, e não seríamos nós, porque nós somos o resultado do que pensamos e do que fazemos. "E se"... não valeria nada. Se fosse para ser feito, teria sido. Se não foi, foi porque não era para ser assim, e se não era teria de ser feito por outra pessoa, e essa pessoa não seríamos nós.
É drasticamente verdade.
BJS
INNER SILENCE

Anónimo disse...

Querida Sofia :-)
Sim, é mesmocomo dizes.. Não seriamos nós, na nossa essência...
beijo,
daniela fernandes

DF ॐ disse...

Concordo com todas as tuas palavras, acho que não conseguiria dizer melhor.
Excelente post :)
Beijinhoos

Christian disse...

Sinto-me na mesma situação Daniela. Não gosto de generalizações, cada situação é única e deve ser tratada como tal.

Sara Martins disse...

que lindo princesa <3

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»