segunda-feira, 22 de julho de 2013

Enquanto calado me olhavas, os teus olhos dourados, àquela hora de crepúsculo, pareciam despir-me de roupas, e depois de pele, deixando-me a alma nua à tua frente. Arrepios de frio inundaram cada canto meu e nem assim me senti mais pequena. Tu não me fazes pequena. 

9 comentários:

Renata disse...

Que lindo!

Cau disse...

É óptimo quando o amor nos eleva, não é? Seja qual for a forma como ele se demonstra.

c disse...

Adorei o texto e as fotografias!
São tuas?

han disse...

tão simplesmente.. encanto

Renata disse...

De nada. Já tive pena, agora já nao tenho :)

O Burguês Social disse...

O teu blog está neste momento inserido numa sondagem e a concorrer numa rubrica chamada "Especial Blogs - A Distinção". Esta rubrica pretende dar voz aqueles que estão por trás do ecrã do computador e eleger os preferidos dos leitores da blogosfera. Para votar basta aceder a http://oburguessocial.blogspot.pt

O Burguês Social disse...

O problema já está resolvido. Todos os links encontram-se agora em funcionamento. Obrigado.

Margarida Costa disse...

Se há amores que nos tornam pequenas, então não são amores....

mai disse...

Simplesmente maravilhoso...segui ♥

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»