quarta-feira, 25 de julho de 2012

 "Dizer que amamos mais A do que B não é comparar dois níveis de amor, quer dizer que B não é amado. Porque se amarmos alguém, não poderemos compará-lo. O amado é incomparável. Até mesmo no caso em que amamos ao mesmo tempo A e B, é-nos impossível compará-los, sob a pena de deixarmos nesse instante de amar um dos dois. E se declararmos publicamente preferir um a outro, não é para confessarmos a toda a gente o nosso amor por A (porque nesse caso bastar-nos-ia dizermos «amo A!»), mas para darmos a entender, com discrição mas com clareza, que B nos é totalmente indiferente."

«A Imortalidade»,  Milan Kundera

10 comentários:

sophie disse...

adorei, adorei, adorei, adorei!

sophie disse...

que bom princesa :)

cláudiagomes. disse...

cada vez me apaixono mais por este blog!

madalena ♥ disse...

muito obrigada mesmo, daniela (:

cláudiagomes. disse...

então, porquê?

nicolemorais disse...

Lindo, lindo!

jorgedalte disse...

Mas há uma terceira hipótese para não os poderes comparar, para não poderes dizer que amas mais um que o outro, porque talvez eles juntos sejam o complemento do rapaz dos teus sonhos...por isso amas dois. Porque amar, amar é encontar numa só alma tudo aquilo que faz dessa pessoa diferente e nos completa e realiza.Não metades mesmo que com pesos diferentes.

bjs

cláudiagomes. disse...

temos gostos iguais :p

Anónimo disse...

Adorei, gosto da tua maneira de pensar, eu mesma penso assim. Vejo uma certa maturidade. Gosto...

daniela fernandes disse...

Obrigada Anónima :))

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»