quinta-feira, 8 de março de 2012

O que nós nos esquecemos de que esquecemos


Nós, como os mais novos, teremos esquecido que um dia tivemos 18 anos e olhámos para jovens de 15 anos, achando que não sabiam nada. Tivemos 15 anos e olhámos para jovens de 12 anos, achando que não sabiam nada. Sinto que nada mudará e assim será no futuro. E este presente, tão presente, no futuro será passado… Como muito outros presentes, tão presentes. No nosso lugar, estão outros como nós. Compreendem tudo o que também nós compreendíamos, e já esquecemos.

9 comentários:

nicolemorais disse...

adorei! que lindo!

sophie disse...

adoro linda :)

sophie disse...

oh obrigada doce!

Joan disse...

Não esquecemos, lembramos mas com jeito distante.
Isto porque o tempo, na medida que passa, vai dando mais e mais, mais estalos, mais desilusões, mas também mais alegria e momentos marcantes. Pensamos sempre que sabemos mais que há uns anos atrás, e é-o assim mesmo. Agora sei mais que há um segundo atrás. E se formos a ver assim... O dia em que somos mais "sábios", é o dia em que morremos.
Mas pode nem ser assim, talvez quem saiba sejam os inocentes que nada saibam. Nós sabemos demais para saber algo. Estamos cegos de acordo com algumas coisas que nos incutiram e as vezes, parecem estranhas até de questionar. Se calhar este "saber" impede-nos de saber. Não sei se me faço entender... Ou então vamos sabendo sempre mais... (Não sei.)

Francisca. disse...

tão lindo!

Cath disse...

sim, sou Catarina. agora já sabemos mais acerca uma da outra, o que é bom.
como li num comentário ali acima: "não esquecemos, lembramos mas com jeito distante." é o resumo deste pequeno texto que diz tanto com tão pouco. gostei mesmo de reflectir por um bocadinho sobre isso.

Francisca. disse...

exacto..

mariana disse...

tão verdade!!

Cath disse...

cada vez mais penso nas palavras que a Joan aqui deixou, bem como as tuas. acho que se completam, de uma maneira subtil. fazem-me questionar o que serei, e aquilo que, de acordo com o tempo, ainda poderei ser.

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»