domingo, 8 de janeiro de 2012

Deveria?


No meu caso, a recordação de dor ainda é dor. A recordação de felicidade é também dor.
Não deveria ser assim! A recordação de uma dor passada, já não deveria doer tanto ao ponto de lhe atribuirmos esse estatuto. O de que ainda dói! Quanto mais não seria um pequeno incómodo ou até a poderia relembrar com um leve sorriso ou alívio... afinal já passou, acabei por aprender qualquer coisa com ela e cresci.
A recordação de felicidade também não deveria ser dor, de todo! Deveria sentir-me feliz pelos bons momentos que passei, que não foram poucos. E há quem não os tenha.
E com tantos "deveria" apercebo-me de que não sou mecânica. Não vim com nenhum manual e que acima de tudo sou humana. Somos todos. Logo, não existem comportamentos padrão que deveríamos todos seguir em determinadas situações.

29 comentários:

- danielamelo disse...

acho que há muitas pessoas assim como tu :s

- danielamelo disse...

a recordação da dor pode já ter passado e podemos até já ter aprendido com ela, mas não significa que deixe de doer tudo aquilo que vivemos, não significa que já tenhamos ultrapassado!
a recordação da felicidade pode também ser dor devido à falta, à saudade que sentimos desses momentos em que fomos realmente "felizes"!

- danielamelo disse...

compreendo perfeitamente, acredita :s

rafaela sofia disse...

está perfeito Daniela! adorei mesmo.

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

hey tão lindo!! e sim, tens imensa razão. por vezes recordar não é viver, mas sim sofrer

Sofia Moreira disse...

adorei Daniela :)

CM disse...

com o tempo a ferida cura! e essa dor, ainda presente, vai desaparecer... :)

Sofia Moreira disse...

eu não pus a aceitar comentários :c
tu também és e muito obrigada!

CM disse...

Acredita que é. Nada dura para sempre, quem seria a dor para quebrar regra? Tudo passa, é uma questão de tempo querida :) qualquer dás por ti e já nem dás importância a essas lembranças :)

Sofia Moreira disse...

1 ano e 8 meses :) oh, muito obrigada mesmo!

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

querida, para seguires tens que descer o blog e ir a "aderir a este site". se fores à opção normal "seguir" não dá /:

IM disse...

O Hume explicava isso...lembraste? Distinguia as impressões das ideias...e penso que ele tinha razão...a dor de recordar a dor não pode ser bem a mesma dor...o tempo diluiu, no mínimo, a intensidade...

daniela fernandes disse...

Lembro-me :)) Até perguntei à Joana se ela já aprendeu isso. E sim, está tudo mais diluído...

Catarina Francisco disse...

gostei do blogue, sigo-te :D

Sofia Moreira disse...

sim, é verdade :)

Catarina Francisco disse...

obrigada *.*

KákáChi disse...

Não somos todos de ferro e há sempre uma altura em que mesmo a maior felicidade nos traz dor. Mas todos somos humanos e sentimos de maneiras diferentes.

andreia silva disse...

sigo :) *

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

ahhhh. desculpa ;) às vezes dá.me estas paralisias intelectuais ahahah

CM disse...

exacto! agora não penses muito nisso querida , é melhor :)

CM disse...

Isso é porque tu pensas, que não consegues deixar de pensar nesse assunto! Se puseres na cabeça que não pensas mais nisso, não pensas ;)

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

sim :b é mesmo isso que me acontece (;

Ricardo Miñana disse...

Hola la imagen es inquietante,
feliz semana.
un abrazo.

Blake disse...

Nada como o tempo para amenizar a dor... Assim podemos voltar a sorrir de verdade!

Adorei o blog! Seguindo aqui já e convido você a conhecer e seguir o Sook também.
BjO
http://the-sook.blogspot.com/

CM disse...

de nada :) claro que consegues!

Anónimo disse...

sem dúvida, mas a dor dói porque temos pena de nós próprios antes, e a felicidade dói porque temos pena de nós próprios agora... no fundo, "éramos felizes"...

alexandra disse...

mesmo..

Ariana Filipa disse...

Obrigada. Mas às vezes não chega sermos só nós a achar.
As recordações são marcas. Seja de dor, de felicidade, de tristeza, ou de outro sentimento qualquer, ao recordar acabamos sempre por (quase) sentir tudo o que sentimos no momento. (opinião pessoal)
Os nossos comportamentos, são nada mais que respostas às diferentes situações a que somos sujeitos. Sendo as situações sempre diferentes, não existem comportamentos padrão. Cada comportamento é um comportamento.

Bom texto :) e mais uma vez obrigada pelas tuas palavras :)

Ariana Filipa disse...

oh que simpatia :) sim, exatamente nunca sentimos, mas é muito semelhante, do meu ponto de vista :) e grande verdade, o tempo fica-nos sempre com algo mesmo. Obrigada, também ganhaste uma seguidora :p

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»