sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Futurista

Intitulei este meu texto de Futurista, porque só o deveria ter escrito quando fosse mais velha, daqui a uns anos. Mas, bem, apressei-me!

Começou tudo bem devagar. Com cada coisa no seu lugar, e na devida altura. Como quem não quer a coisa. Eu realmente não queria, até à hora da verdade. A hora em que tu me deste a escolher. Éramos jovens, o tempo parecia ser algo que nunca nos ia faltar. O mundo parecia algo realmente fantástico e maravilhoso. Parecia ser um lugar afável que nos iria acolher um dia mais tarde. Quando, depois de termos feito todas as loucuras possíveis e imagináveis, ele nos cedia um lugarzinho seu para aí enraizarmos. Tinha a aparência de ser conquistável. Nessa altura, o mundo era movido pela força dos sonhos. Pelo som dos risos, dos sorrisos e dos olhares cheios de brilho. Brilho de quem nada sabe, por muito pouco que eu agora possa saber. 


23 comentários:

joanarocha disse...

está muito bonito.

Mariana disse...

Gostei pelo facto de não citares nada em concreto, do género, deixa-nos a pensar no texto :)

- Bianca disse...

Que lindo texto :)

Sofia Moreira disse...

adorei :)

Sofia Moreira disse...

não tens de quê e ainda bem e obrigada *.*

Mariana disse...

é sim!

Isabel disse...

Gostei mesmo muito.

Isabel disse...

Sim, da primeira vez também fiquei assim como tu. Mas, agora é totalmente diferente. A minha prioridade, sou eu.
Muito obrigada pelas palavras querida.

Pensando com a Arte disse...

está muito bonito!

Pensando com a Arte disse...

também te vou seguir (:
beijinhos*

Anónimo disse...

Eu acho que mais do que «Futurista», este texto ficaria bem com o título de «Realista»!!!!
(IM)

Anónimo disse...

Fizeste bem em "apressar-te"... se sentes isso, porque não dizê-lo já agora? Porque não viver com isso a partir de agora? Porquê fazer teatros fingindo que, apenas por seres jovem, ainda pensas que o mundo é um mar de rosas, e não ser sincera e dizer sinceramente que já não achas isso? Se o achas, aliás, se o sabes, é sinal que sabes o que é a vida, e que vais realmente vivê-la e não andar por aí apenas a deambular sem rumo! :D Adorei o texto
Beijinhos
S

Christian disse...

Daniela, senti sua falta...
Gostei imenso do texto e se escreveste agora era porque havia de ser escrito. Para os escritos não existem idades, o que importa é a idade mental. Vejo isto como um sinal de amadurecimento.

Pensando com a Arte disse...

muit muito muito denada ;D

Sara Martins disse...

DANIELA FOFA <3

gostei

Sara Pereira disse...

Já tenho muitos filmes para te passar , amiga . Incluindo um que já é antigo mas é super lindo , um amor quase impossível que se torna possível :D
De Nicolas sparks . The notebook( diário da minha paixão) . Há o livro não sei se já leste ou vis-te o filme.

Christian disse...

Olá Daniela! Escrever em parceria é simples, escolhe-se um tema, quem vai iniciar e quem vai finalizar. Mas nenhum da opinião ao outro e isto que torna os textos impressionantes. O dia que quiseres, só me procurar em meu facebook e deixar uma mensagem. Não há outro Christian V. Louis por lá. ahah.

Sara Pereira disse...

TENS O da minha vida sem mim??? era mesmo esse que eu queria e que a professora de filosofia já tinha falado :D depois passa-me pf.
O da sister keeper já mo tinhas passado . Tambem tenho um de policial mesmo lindo.

Sara Pereira disse...

Ok Princesa. Deus queira que ainda tenhas esse. Aposto que vou chorar muito :D

Pensando com a Arte disse...

querida eu procuro, procuro mas não sei onde clicar para seguir :c
como faço no teu perfil?

milene mateus. disse...

tem mesmo ! odeio gente assim, aiiiii ! q bah -.- mete-me um nojo man...
- obrigado do fundo do coração querida :) sim, não é mentira nenhuma que a distância é de facto MUITO complicada, mas com calma, paciência e muito amor, tudo se consegue. e eu acredito nisso, tenho muita esperança *

milene mateus. disse...

antes de mais, adoro a música :')
esta distância existe porque ele é de lisboa e eu do algarve :x

Núria disse...

Obrigado querida, também te sigo (:

Enviar um comentário

«I don’t care if you’re black, white, straight, bisexual, gay, lesbian, short, tall, fat, skinny, rich or poor. If you’re nice to me, I’ll be nice to you.
Simple as that.»